domingo, outubro 1

Perdão, Drummond

Postado por Ariana Fernandes às 22:42 0 comentários

No meio do caminho tinha um crush
Tinha um namorado no meio do caminho
Tinha a melhor pessoa
No meio do caminho tinha o inesperado
Nunca me esquecerei desse acontecimento
Na vida de minhas retinas tão fatigadas
Nunca me esquecerei que no meio do caminho
Tinha uma pedra
Mas os tijolos da estrada eram só amor.

segunda-feira, maio 15

Postado por Ariana Fernandes às 17:39 0 comentários
Os cabelos caindo em cascata pelas costas, o cheiro doce do perfume misturado com cigarros, ah! aquelas curvas perigosas... O coração silvestre que batia naquele corpo nunca serviria-me de bússola, seu ritmo fazia com que eu me perdesse em minha própria inconstância. Como um cristão que pisa em solo sagrado, pedi permissão para tomar aquele corpo.
Sorriu, e me beijou, e se entregou a meu bel prazer.
Não se oferece o pescoço a uma vampira, garota!
O cheiro, como imã, me fez ser inteira língua e dedos. Afoguei-me em mel proibido. Revirando os olhos ela suspirava. E suspirando, tomava meu coração e escondia dentro de si. Como gata dengosa veio esfregar-se em meu colo.
Gozei.
Gozamos
Dormiu bela e nua nos meus braços.

Poucas vezes cedi ao fértil impulso de ir embora, até a noite subita que meus pés decidiram fazê-lo por conta própria. As coisas nunca obedeciam a uma ordem cronologica específica. E já não sei dizer o quanto as pontas daquelas intrincadas raízes de lembranças cresciam no solo da realidade ou da fantasia.

Será que você ainda pensa em mim?